alt

No início do povoamento da Ilha Terceira, inícios do século XVI, um certo dia, passavam algumas pessoas pela Ribeira das Sete, quando viram parar sobre a água a Virgem Nossa Senhora que lhes pronunciou:
-Estai atentos, aqui próximo, no mar há-de aparecer uma imagem minha.
Ao declarar isto, pôs o pé na rocha e desapareceu, deixando marcada uma pégada.

As pessoas ficaram entusiasmadas e a pensar no que tinha acontecido. Passados dias, ficaram ainda mais admiradas, quando, um caixote de madeira deu à costa e nele encontraram uma imagem de Nossa Senhora da Ajuda.

Essa imagem foi trazida para a igreja paroquial, ficando a ideia de dedicar-lhe um altar.
De noite, Ela mudava-se para uma pequena furna que ficava na rocha, onde tinha aparecido, sem que ninguém lhe tivesse tocado.

Uma mulher natural daquela localidade viu, numa dessas noites, a Imagem da igreja para a lapinha, conduzida pelos anjos.
Num certo dia, o padre e alguns homens tentaram pegar na Imagem para a trazer de volta à igreja, mas, de repente, Ela tornou-se tão pesada que não foi possível deslocá-la dali, apesar da força dos homens.

Então o povo entendeu que a Senhora da Ajuda queria ficar naquele lugar, junto ao mar, e edificaram-lhe uma pequena ermida onde colocaram a Imagem de pedra.

Desta forma, ficou edificada perto do mar, na freguesia de Santa Bárbara, na Ilha Terceira, a ermida da Senhora da Ajuda que fez muitos milagres àqueles que lhe eram devotos.